Como a Camilinha tem dormido 

Eu estava deixando um tempo para poder falar melhor sobre as noites de sono da Mila (e nossa também, claro!). 
Até os seis meses de vida a Camila dormia a noite quase toda. Ela passava oito, dez horas seguidas em um sono tranquilo e normalmente acordava apenas uma vez para mamar. A gente achava que tinha “tirado a sorte grande” de ter uma filha que dormia tão bem desde os primeiros dias de vida. 

 
 
Depois da introdução alimentar Mila nunca mais dormiu assim. Eu lembro do sétimo mês como um dos mais difíceis por aqui. Ela acordava de hora em hora à noite, chorava, gritava, se mostrava muito incomodada e só queria ficar com a mamãe. Isso durou bastante tempo. Eu realmente estava virando zumbi. Fora isso, foi o mês que descobrimos a APLV, então vocês imaginam como foi difícil para nós.

 Assim que começamos esta nova fase na dieta por aqui (bem mais restrita e rígida), há vinte e cinco dias, passadas algumas noites ela estava dormindo bem melhor. Acordava no máximo duas vezes para mamar e chegava a dormir seis horas seguidas.

  

Mas, por enquanto não posso afirmar que ela já mantém um padrão e ritmo de sono (mesmo seguindo nossa rotina de horários e atividades no final do dia, na medida do possível). Tivemos neste período algumas noites muito ruins, ainda, mas, é impossível não notar uma melhora. Camila que estava há meses com um sono muito intranquilo, não passando mais que três horas seguidas dormindo e geralmente acordando bem antes disso, tem conseguido descansar bastante bem. 

Nesses últimos dias ela tem dormido perto das oito da noite e acorda algumas vezes até mais ou menos uma da manhã, quando finalmente dorme direto até umas cinco e meia ou seis e meia. Ontem mesmo ela só acordou duas vezes para mamar e acordou de vez às sete e meia. 

  

É um avanço muito importante e estamos confiantes que a dieta tem ajudado, apesar de não sabermos ainda ao certo, já que ainda não faz nem um mês que a iniciamos. Ainda é cedo, mas mesmo assim temos esperança de que todo o nosso esforço com a dieta (APLV, ovo, soja, côco, cacau, banana, caju, mamão, crustáceos, oleaginosas) e o controle dos traços está ajudando a nossa pequenina a dormir melhor.

Digo a vocês que mesmo os médicos afirmando que não existem indícios de que alergia alimentar tem relacão com noites mal dormidas, eu ainda acho que por aqui existe alguma ligacão sim. Eles afirmam que não existem comprovações científicas nem estatísticas sobre o assunto, mas para mim seria muita coincidência a Camila iniciar a introdução alimentar e passar a dormir tão mal desde então. 

E vocês, como os pequeninos alérgicos têm dormido por aí?! Adoraria um depoimento e o comentário de vocês.

  

Um beijo.

Ju Jordán 

Anúncios

6 comentários sobre “Como a Camilinha tem dormido 

  1. Minha bebe tem 9 meses e desde que entramos com o neocate ela não dorme tão tranquilamente. As noites foram mais difíceis quando introduzimos o frango, que apesar de não ter nenhum outro sintoma, a deixa extremamente irritada para dormir… o que me fez retirá-lo da dieta. Hoje ela tem dormido bem, só acorda para mamar… em média consegue dormir cerca de 6 hrs direto… sonho com o dia que ela consiga dormir a noite toda… e lógico… com a cura tbm…

    Curtido por 1 pessoa

  2. Tenho uma bebê de 3 meses e como sou nutricionista desde o 1 mês de vida suspeitei que ela tinha APLV. Como foi durante os 6 primeiros meses de vida da Camilonha, procurei em todo o seu blog mais não achei. Seria um post interessante. A minha filha dorme à noite toda desde os dois meses.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá Cintia. Nós só descobrimos a APLV da Camila com a Introdução Alimentar, aos 7 meses. Nos 6 primeiros meses de vida ela apresentava alguns sintomas leves (dermatites nas “áreas de calor” e assaduras), mas dormia a noite quase inteira desde o primeiro dia de vida. Ela só acordava 1x para mamar e chegava a dormir 9, 10hs seguidas. Vou preparar um post sobre isso, talvez ajude outras mamães, não é?! Beijos ♥️

      Curtir

      1. Vou aguardar o seu post. Esperei até os 3 meses para levar no gastro e alergologista apesar de já ter tirado tudo de leite e agora ovo da minha alimentação. A semana passada tive a confirmação dos médicos. Vamos realizar os exames dela agora. Se puder no post relata detalhadamente como foi esse processo, os exames feitos e teve confirmação no exame ou foi pelo quadro clínico. Amei o seu blog. Beijos

        Curtido por 1 pessoa

  3. Olá!!!! Descobri a alergia do Murilo qdo ele completou 10 meses. Sempre muito irritado desde o primeiro mês de vida não dormia bem, acordava de hora em hora, mas depois que introduzimos a alimentação as coisas pioraram, chorava desesperadamente e tinha uma chieira horrível no peito. Moro em uma cidadezinha do MT que não nos oferece nenhum recurso. Levei meu pequeno pra SP, foi ai que descobrimos a alergia. Desde que mudamos alimentação e o leite a 2 meses tenho outra criança em casa. Apesar do sono dele ainda não estar em dias. Achamos um caminho a seguir!!!! Tenho uma dúvida: Já queria tirar o leite de soja (receitado pelo pediatra) da alimentação dele. Quais as opções para substituição sem comprometer a nutrição e desenvolvimento dele?

    Curtir

    1. Olá Paula. Tão difícil alergia alimentar, fico imaginando num local onde as pessoas têm menos recursos. Deve ter sido uma barra para vocês. Que bom que hoje Murilo está bem melhor, e vocês encontraram apoio e, como você mesma disse, um caminho a seguir. Só não entendi o porquê de você estar querendo retirar o leite de soja se pelo que você me disse ele está tão bem…

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s