3 dicas de viagem com um bebê (ainda por cima APLV)

Eu resolvi fazer esse post contando um pouco mais de detalhes sobre as “estratégias” que uso para viajar com a Camila, principalmente as viagens mais longas.

Seja de carro ou de avião (ainda não fui de navio com Camila), basicamente as coisas que levo são as mesmas: o berço portátil (caso o hotel ou pousada não disponibilize), o carrinho (que no avião não precisa ir nas bagagens, pode ir até a porta conosco), alguns brinquedos, os livrinhos, as malas de roupa e as de comida. Não levo mais banheira inflável porque Camila já adora tomar banho de chuveiro conosco.

A última viagem longa que fizemos foi para Fernando de Noronha e depois de uma pausa de alguns dias, fomos à Maceió. Lá em Noronha eu não organizei a melhor logística de como levar as comidas para Camila, já na segunda etapa da viagem eu aprendi com meu erro e acertei. Vou contar tudinho para vocês.

Dica 1: Comida Congelada

Eu comprei um “cooler” para as nossas viagens. Então, no planejamento, eu faço os cálculos da quantidade de refeições que serão necessárias para Camila (ela come 4 vezes ao dia, fora o leite materno em livre demanda) e monto um cardápio.

Depois é só cozinhar e congelar. Até aí tudo bem, mas como fazer isso de uma maneira otimizada? Foi essa a minha falha na viagem à Noronha. Eu congelei tudo em grandes potes e tentei deixar espaços entre as comidas para facilitar no descongelamento. Exemplo: deixei “x” porções de macaxeira em cubinhos num mesmo pote. Na hora de oferecer a refeição eu fiz as combinações, tipo: milho com macaxeira e carne moída. Só que isso atrapalhou muito o nosso passeio. Eu perdia tempo tentando retirar cada alimento do pote, depois descongelando cada um deles e também perdia tempo com as combinações possíveis (tentando adivinhar o que Camila melhor aceitaria). Olha, foi um “Deus nos acuda”!

Então para a viagem de Maceió eu já fiz bem diferente. Inclusive agradeço a Dona Filó, a dona da pousada em que estivemos hospedados lá na ilha, porque foi ela quem me deu a dica (também tem um netinho de 2 anos que é alérgico e está acostumada a essas situações). As refeições principais eu congelei individualmente em mini potes de plástico (almoços). Já o café da manhã, lanche da tarde e janta, também em porções individuais, só que em sacos plásticos (que ocupam bem menos espaço). As refeições já saíram aqui de casa congeladas e prontas para servir, era só retirar do saco, colocar num prato, descongelar no micro-ondas e oferecer à Mila.

 

opção de almoço para congelar
 
 
3 proteínas e 2 tipos de feijão para os almoços
 
 
jerimum com peixe
 
 
milho com frango e cará
 
 
milho com carne desfiada
 
 
tudo congelado antes de colocar no “cooler”
 

Essa estratégia nos ajudou a otimizar espaço na mala e tempo da viagem.

 

em alguns restaurantes nós já arriscamos oferecer a comidinha dela tendo sido cozinhada lá. Deu tudo certo e ainda por cima ela amou por estar comendo algo diferente do comum
 
Dica 2: Brinquedos e livros

Quem nos acompanha através do Instagram viu que sempre que viajamos eu levo alguns brinquedos da Camila e livrinhos e disponibilizo em algum canto acessível para ela dentro do nosso quarto. Aqui na nossa casa ela está acostumada a pegar suas coisinhas quando deseja porque tentamos educá-la com auxilio da filosofia montessoriana (vocês conhecem?). Tudo com o objetivo de dar maior autonomia e liberdade para a pequena.

 

brinquedinhos e livros em um local fácil para que ela pegue sempre que quiser
 
Acredito que isso ajuda a nossa filha a se sentir “em casa”, na medida do possível, claro! Ela estará num ambiente novo, com uma rotina completamente diferente da que ela está acostumada e essa simples atitude da nossa parte a deixa mais feliz.

 

Camila ama quando lemos para ela, então, sempre levamos alguns bons livros para a viagem
 
Dica 3: horário das viagens

Normalmente quando planejamos uma viagem em família fazemos tudo com bastante antecedência. Pensamos no destino, da programação que vamos fazer, no que levar na mala, o que vamos comer e oferecer aos pequenos (principalmente no caso das mamães APLV que amamentam e precisam fazer dieta como eu). Mas às vezes esquecemos de organizar algo que parece um detalhe, mas para mim é muito importante: o horário da viagem.

Se formos de carro, queremos pegar a estrada cedinho da manhã, se de avião, pensamos num vôo que seja mais barato. Isso nos faz, por vezes, partir em horários nada convencionais. Para mim, vale a pena gastar um pouquinho a mais, ou perdermos um pouco mais de tempo para respeitarmos de uma forma geral os horários do bebê.

  
Eu costumo fazer assim: Se de carro gosto de viajar perto do horário da soneca da Camila. Então para o nosso caso não funciona pegar a estrada cedo da manhã porque ela acabou de acordar. Primeiro toma o café, toma banho, mama e aí sim viajamos. se for à tarde, não adianta viajar imediatamente após o almoço. Seria um terror. Nós levamos muito a sério a questão da segurança e todos usam o cinto no carro, inclusive a Mila na sua cadeirinha. Se a gente viajasse com ela muito agitada, nos horários que normalmente ela estaria brincando, seria quase impossível mantê-la quietinha. O ideal é viajar sempre perto da hora dela dormir.

  
Muita gente me pergunta como eu faço para Camila ficar tão tranquila na cadeirinha do auto e sempre respondo que não faço nada de mais, só escolho os melhores horários para sair (além do fato dela ser uma criança tranquila, claro! ).

Se formos de avião é menos mal porque temos a liberdade de deixá-la “esticar as pernas”, mas, sempre que possível optamos por vôos que não desrespeitem os horários do soninho (tipo: de madrugada? Tô fora! A não ser que fosse uma viagem mais longa, internacional. Então, ao contrário, seria a melhor opção. Sendo que ainda não saímos do Brasil com ela, estamos planejando para o ano que vem).

Então é isso, gente! São dicas simples mas que podem ajudar muitas mamães que estão pensando em viajar (achei genial essa história dos saquinhos plásticos para as comidas). 

Para acrescentar uma última coisa, penso que como a mala de comidas é indispensável, então precisamos diminuir nas outras, principalmente não estressar os maridos. 

E vocês? Quais as suas estratégias de viagem em família? Quero saber. 

Beijos,

Ju Jordán 

 

 

Anúncios

8 comentários sobre “3 dicas de viagem com um bebê (ainda por cima APLV)

  1. mamães, alguma de vcs já ouviram falar no tratamento de dessensibilização? tenho uma filha de 2 anos e 9 meses que o grau de aplv é altíssimo ela tem sensibilidade ao toque ..ex: se alguém comer um chocolate e não lavar as mãos bem lavadas com sabão e tocar nela ela já apresenta um enorme quadro alérgico.. Gostaria de saber se alguma de vcs já fizeram este tratamento e se deu certo.. aguardo..
    ass: fabricia uma mae desesperada

    Curtir

  2. Olá, pesquisando sobre como viajar com um bebê que tem APLV encontrei você e adorei a ideia de como levar a comida. Mas fiquei curiosa para saber como faz com a sua comida já que você disse que ainda amamenta em livre demanda sendo necessário também fazer a dieta.

    Curtir

    1. Olá Lais. Na época eu nunca precisei levar todas as minhas comidas. Levava por vezes opções de lanche (tipo: bolo, biscoitos, frutas) e me
      Alimentava nas refeições principais ou no hotel ou em algum restaurante e normalmente repetia sempre o mesmo prato: arroz, fritas, bife… Mas também Mila a princípio nunca reagiu aos traços presentes no leite materno. Caso você esteja precisando restringir os traços no seu LM, é ideal
      Levar tudo mesmo… Assim você ficará mais tranquila. Marmitas individuais e congeladas são mais Praticas. Beijão

      Curtir

    1. Olá Liliane. Não tivemos quaisquer problemas. Foi normal junto com
      As malas embaixo do avião. Como era vôo nacional, foi super tranquilo. Para vôos internacionais você deve levar a receita médica acompanhando. Conversar bastante lá explicando a situação e tudo ficará bem! ♥️🙏🏼😘

      Curtir

  3. Olá Juliana,
    Como vc faz para armazenar a comida na pousada? Quero viajar e, ao entrar em contato com o hotel, eles responderam que me disponibilizariam apenas o microondas. Vc sabe me dizer se um frigobar comporta tal armazenamento? Como é a sua logística? Poderia postar uma foto do seu cooler? Vc coloca alguma coisa dentro do cooler para garantir que a comida não descongele no trajeto?
    Desde já,
    agradeço a atenção!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s